Vem aí: Festival Um Novo Caminho

Com o tema “Jovem, uma esperança”, o evento vai trazer uma programação recheada! Você não pode perder.

Leia Mais!

Amor em ação de outubro

A amor em ação ocorrerá no dia 25 de outubro. Faça parte desse movimento de amor!

Leia Mais!

@umnovocaminho

Liturgia

1ª Leitura - Ef 4,7-16

Cristo é a Cabeça. Graças a ele, o corpo,
coordenado e bem unido, realiza o seu crescimento.
Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 4,7-16
Irmãos:
7Cada um de nós recebeu a graça
na medida em que Cristo lha deu.
8Daí esta palavra:
'Tendo subido às alturas,
ele capturou prisioneiros,
e distribuiu dons aos homens'.
9'Ele subiu'! Que significa isso,
senão que ele desceu também às profundezas da terra?
10Aquele que desceu é o mesmo que subiu
mais alto do que todos os céus,
a fim de encher o universo.
11E foi ele quem instituiu alguns como apóstolos,
outros como profetas,
outros ainda como evangelistas,
outros, enfim, como pastores e mestres.
12Assim, ele capacitou os santos para o ministério,
para edificar o corpo de Cristo,
13até que cheguemos todos juntos à unidade da fé
e do conhecimento do Filho de Deus,
ao estado do homem perfeito
e à estatura de Cristo em sua plenitude.
14Assim, não seremos mais crianças
ao sabor das ondas,
arrastados por todo vento de doutrina,
ludibriados pelos homens
e induzidos por sua astúcia ao erro.
15Motivados pelo amor queremos ater-nos à verdade
e crescer em tudo até atingirmos aquele
que é a Cabeça, Cristo.
16Graças a ele, o corpo, coordenado e bem unido,
por meio de todas as articulações que o servem,
realiza o seu crescimento,
segundo uma atividade à medida de cada membro,
para a sua edificação no amor.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 121, 1-2. 3-4a. 4b-5 (R. Cf. 1)

R. Que alegria, quando me disseram: Vamos à casa Senhor!

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

1Que alegria, quando ouvi que me disseram:*
'Vamos à casa do Senhor!'
2E agora nossos pés já se detêm,*
Jerusalém, em tuas portas.R.

3Jerusalém,cidade bem edificada *
num conjunto harmonioso;
4apara lá sobem as tribos de Israel,*
as tribos do Senhor.R.

4bPara louvar, segundo a lei de Israel,*
o nome do Senhor.
5A sede da justiça lá está *
e o trono de Davi.R.

Evangelho - Lc 13,1-9

Se vós não vos converterdes,
ireis morrer todos do mesmo modo.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 13,1-9
1Naquele tempo, vieram algumas pessoas
trazendo notícias a Jesus
a respeito dos galileus que Pilatos tinha matado,
misturando seu sangue com o dos sacrifícios que
ofereciam.
2Jesus lhes respondeu:
'Vós pensais que esses galileus eram mais pecadores
do que todos os outros galileus,
por terem sofrido tal coisa?
3Eu vos digo que não.
Mas se vós não vos converterdes,
ireis morrer todos do mesmo modo.
4E aqueles dezoito que morreram,
quando a torre de Siloé caiu sobre eles?
Pensais que eram mais culpados
do que todos os outros moradores de Jerusalém?
5Eu vos digo que não.
Mas, se não vos converterdes,
ireis morrer todos do mesmo modo.'
6E Jesus contou esta parábola:
'Certo homem tinha uma figueira
plantada na sua vinha.
Foi até ela procurar figos e não encontrou.
7Então disse ao vinhateiro:
'Já faz três anos que venho procurando figos nesta
figueira e nada encontro.
Corta-a! Por que está ela inutilizando a terra?'
8Ele, porém, respondeu:
'Senhor, deixa a figueira ainda este ano.
Vou cavar em volta dela e colocar adubo.
9Pode ser que venha a dar fruto.
Se não der, então tu a cortarás.'
Palavra da Salvação.

Reflexão - Lc 13, 1-9

Quem vive na graça de Deus tem a vida dentro de si. Ao contrário, a paga do pecado é a morte. Esta verdade deve sempre estar presente em nossas mentes, a fim de que possamos, apesar dos nossos pecados, buscar a verdadeira vida que vem de Deus. A partir dessa consciência, devemos procurar constantemente a conversão, a busca da santidade, a coerência da nossa vida com a fé que professamos. O Evangelho de hoje nos mostra que Deus tem paciência conosco e, por meio da sua graça, está sempre contribuindo para a nossa conversão e para a nossa santificação, mas é necessário que também nós procuremos fazer a nossa parte.

Reflexão

Reflexão pessoal -   Efésios 4, 7-16 – “a graça de Deus vem na medida certa”

São Paulo nos ensina a como nos apossar da graça de Jesus Cristo na medida em que Ele nos concede.  Antes de subir aos céus Jesus visitou as profundezas da terra e encheu todo o universo com o Seu poder Salvador. Do céu Ele nos enviou o Seu Espírito Santo que nos cumula de dons e nos capacita a edificar o Corpo de Cristo. Desta maneira, o próprio Jesus nos habilita, uns como apóstolos, outros como profetas, como evangelistas, pastores e mestres, para que cada um de nós, no exercício da sua função seja fiel à vocação a que foi chamado. Assim sendo, nós, em comum unidade crescemos na fé e no conhecimento do Filho de Deus e progredimos em busca do estado do homem perfeito à semelhança de Jesus Cristo.  Este é um processo de conversão que nos faz vivenciar o amor e o serviço a Deus tendo como agente de ação o nosso próximo. Desta maneira nós mesmos (as) percebemos que não somos mais infantis e que temos mais convicção das coisas que buscamos e queremos e, assim demonstramos mais equilíbrio e serenidade nos nossos relacionamentos.  Deixamos de ser “crianças ao sabor das ondas” ou “Maria vai com as outras” e temos consciência de que, enquanto vivemos na terra, estamos preparando o nosso cantinho no céu. Por isso, o nosso intuito, é o de nos tornarmos parecidos com Cristo formando com os nossos irmãos e irmãs uma unidade no amor de Deus.  Aqui na terra nós precisamos exercer o ministério do amor e da unidade em Jesus Cristo, assim seremos reconhecidos pelo Pai que está no céu. –Você tem um ministério no serviço do reino? – Como você tem recebido a graça de Cristo para exercer o seu ministério? – Você procura manter a unidade nos seus relacionamentos? – Você ainda vai pela “cabeça dos outros”? – Quem é que direciona os seus pensamentos, palavras e ações? 

 

Salmo 121 – “Que alegria quando ouvi que me disseram: ‘Vamos à casa do Senhor!’”

Nós também estamos caminhando para a casa do Senhor que é a Jerusalém celeste. É o lugar onde nós encontramos o templo do Senhor e aonde nós podemos entrar em intimidade com Ele, na oração e no louvor. Já podemos vivenciar tudo isto quando nos interiorizamos e nos entregamos às sugestões do Espírito Santo orando em línguas, sozinhos (as) ou no nosso grupo de oração. Quando nós vamos à Igreja para a celebração Eucarística nós também podemos sentir esta sensação de alegria e exclamar como o salmista: “Que alegria, estamos indo para a casa do Senhor!”

 

Evangelho – Lucas 13, 1-9 –  "oportunidade de conversão "

  Jesus nos ensina que "as desgraças nem sempre são castigos", mas servem para nos despertar sobre a brevidade da nossa vida aqui na terra e, assim, nos impulsionar a uma mudança de mentalidade. Muitas vezes, erroneamente cultivamos a ideia e acreditamos que todos os acontecimentos ruins da nossa vida são um castigo de Deus. No entanto, Jesus conta a história da figueira para nos conscientizar de que Deus sempre nos dará oportunidades para repensarmos a nossa vida e caminharmos para uma verdadeira conversão. Às vezes, somos como essa figueira, árvore que dá figo e que foi plantada no meio de uma vinha, que produz uva.  Tomamos espaço no terreno, bebemos da mesma seiva, somos cultivados pelo mesmo agricultor, no entanto, nós mesmos (as), não melhoramos em nada e a nossa produção é inútil. Continuamos com a mentalidade do homem velho, levando uma vida medíocre, trabalhando para nos satisfazer e não damos os frutos desejados. Continuamos com as práticas dos que estão fora do terreno que é adubado pelo Senhor, e as nossas ações, na realidade são um contra testemunho. Temos boa aparência, física, intelectual, sucesso, mas ficamos por aí. No entanto, o Senhor deseja encontrar em nós não apenas folhagem, isto é, aparência, mas testemunho de conversão, de busca de santidade e de vivência do amor. O vinhateiro, no caso, apelou para a misericórdia do dono da vinha e pediu mais uma oportunidade para a figueira. O dono da vinha é Deus Pai, o vinhateiro é Jesus, e a vinha somos todos nós entregues a Ele para sermos apresentados ao Pai. Diante do Pai, Jesus advoga por nós e pede misericórdia. Por outro lado, enquanto estamos aqui na terra, nós também podemos ser como Jesus, esse vinhateiro que é colocado (a) em alguma função de trabalhador da messe. O Senhor nos dá a incumbência de "cavar em volta da figueira, colocar adubo" para que esta possa crescer e dar frutos que alimentam. A nossa conversão é uma coisa urgente na nossa caminhada, mas também, é um processo que se arrasta até o final da nossa vida, quando o dono da vinha vier nos encontrar. Mas como não sabemos quanto tempo Ele demorará, tenhamos pressa, tanto em adubar as figueiras que nos forem entregues, como também nos deixarmos "adubar" pelo nosso vinhateiro que é Jesus Cristo. Não teremos receio das "desgraças" se nos conservarmos dentro das graças do Pai, sendo cuidados pelo Seu Filho Jesus e conduzidos pelo Seu Espírito Santo. - Você também considera que as coisas ruins que lhe acontecem são castigo de Deus? - Ou você entende que possam ser um recado de Deus para que você se converta? - Você  faz parte da vinha ou é como essa figueira que ocupa espaço e não dá fruto?- Mesmo sendo diferente dos outros, você acha que tem condições de melhorar?- Quem você considera como seu (a) vinhateiro (a) aqui na terra?

Calendário 2014.2

Confira as nossas atividades e participe conosco!