Inscrição para XIV Retiro Geral

Nos dias 21, 22 e 23/08 vamos realizar o XIV Retiro Geral da Comunidade Católica Missionária Um Novo Caminho. Faça a sua inscrição!

Leia Mais!

Testemunho Ludy Bayde

Aos domingos, quando ia para a Santa Missa na Comunidade Católica Missionária Um Novo Caminho, sempre ficava olhando para o Altar dividindo a minha atenção com a banda que lá tocava…

Leia Mais!

Testemunho: Janaína Praça

Janaína é casada com Gilson, nosso amado Gilsinho, co-fundador da Comunidade Católica Missionária Um Novo Caminho. Vamos acompanhar este emocionante testemunho?

Leia Mais!

Liturgia

1ª Leitura - Lv 25,1.8-17

Nesse ano de jubileu
cada um poderá retornar à sua propriedade.
Leitura do Livro do Levítico 25,1.8-17
1O Senhor falou a Moisés no monte Sinai, dizendo:
8'Contarás sete semanas de anos,
ou seja, sete vezes sete anos,
o que dará quarenta e nove anos.
9Então farás soar a trombeta
no décimo dia do sétimo mês.
No dia da Expiação fareis soar a trombeta por todo o país.
10Declarareis santo o qüinquagésimo ano
e proclamareis a libertação
para todos os habitantes do país:
será para vós um jubileu.
Cada um de vós poderá retornar à sua propriedade
e voltar para a sua família.
11O qüinquagésimo ano será para vós um ano de jubileu:
não semeareis, nem colhereis
o que a terra produzir espontaneamente,
nem colhereis as uvas da vinha não podada;
12pois é um ano de jubileu, sagrado para vós,
mas podereis comer o que produziram os campos não cultivados.
13Nesse ano de jubileu
cada um poderá retornar à sua propriedade.
14Se venderes ao teu conterrâneo,
ou dele comprares alguma coisa,
que ninguém explore o seu irmão;
15de acordo com o número de anos
decorridos após o jubileu,
o teu conterrâneo fixará para ti o preço de compra,
e de acordo com os anos de colheita,
ele fixará o preço de venda.
16Quanto maior o número de anos
que restarem após o jubileu,
tanto maior será o preço da terra;
quanto menor o número de anos,
tanto menor será o seu preço,
pois ele te vende de acordo com o número de colheitas.
17Não vos leseis uns aos outros entre irmóos,
mas temei o vosso Deus.
Eu sou o Senhor, vosso Deus.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 66, 2-3. 5. 7-8 (R. 4)

R. Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor,
que todas as nações vos glorifiquem.

2Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, *
e sua face resplandeça sobre nós!
3Que na terra se conheça o seu caminho *
e a sua salvação por entre os povos.R.

5Exulte de alegria a terra inteira, *
pois julgais o universo com justiça;
os povos governais com retidão, *
e guiais, em toda a terra, as nações.R.

7A terra produziu sua colheita: *
o Senhor e nosso Deus nos abençoa.
8Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe, *
e o respeitem os confins de toda a terra!R.

Evangelho - Mt 14,1-12

Herodes mandou cortar a cabeça de João.
Vieram os dicípulos e foram contar tudo a Jesus.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 14,1-12

1Naquele tempo,
a fama de Jesus chegou aos ouvidos do governador Herodes.
2Ele disse a seus servidores:
'É João Batista, que ressuscitou dos mortos;
e, por isso, os poderes miraculosos atuam nele.'
3De fato, Herodes tinha mandado prender João,
amarrá-lo e colocá-lo na prisão,
por causa de Herodíades, a mulher de seu irmão Filipe.
4Pois João tinha dito a Herodes:
'Não te é permitido tê-la como esposa.'
5Herodes queria matar João, mas tinha medo do povo,
que o considerava como profeta.
6Por ocasião do aniversário de Herodes,
a filha de Herodíades dançou diante de todos,
e agradou tanto a Herodes
7que ele prometeu, com juramento,
dar a ela tudo o que pedisse.
8Instigada pela mãe, ela disse:
'Dá-me aqui, num prato, a cabeça de João Batista.'
9O rei ficou triste,
mas, por causa do juramento diante dos convidados,
ordenou que atendessem o pedido dela.
10E mandou cortar a cabeça de João, no cárcere.
11Depois a cabeça foi trazida num prato,
entregue à moça e esta a levou para a sua mãe.
12Os discípulos de João foram buscar o corpo
e o enterraram.
Depois foram contar tudo a Jesus.
Palavra da Salvação.

Reflexão - Mt 14, 1-12

A vida de João Batista foi sempre a história da ação divina na história da humanidade, mas principalmente a oposição que existe entre os valores do Reino de Deus e os valores que são assumidos e vividos pelas pessoas. Esta oposição aparece desde o início da vida de João, quando Zacarias, no seu cântico, afirma que ele veio para iluminar os que jazem nas trevas. Mas assim como acontece com Jesus, acontece também com João: os que são das trevas não o receberam, de modo que a sua morte foi conseqüência desta contradição. Mas até a sua morte se torna contradição, porque ela acaba por se tornar um testemunho ainda maior da verdadeira vida, que é destinada aos filhos da luz.

Reflexão

O Ano do Jubileu  tem um significado espiritual,

Reflexão pessoal -  1a. Leitura – Levítico  25,1.8-17 –” todo dia da nossa vida  é dia de perdão”

  Para ilustrar: “O Ano do Jubileu  tem um significado espiritual, e apresenta à humanidade a esperança de que Deus estabeleceu um Dia quando toda escravidão cessará, e tudo o que Deus deu à humanidade no princípio será restaurado. É a ocasião quando todas as dívidas são pagas, todos os escravos são libertados, e todas as propriedades restauradas aos seus legítimos possuidores. No princípio, Deus colocou o ser humano com domínio sobre todas as obras das suas mãos.  Quando veio o pecado, tudo isso mudou, e o ser humano  tornou-se escravo, ganhando a vida com o suor do rosto. Mas Deus deu uma promessa de restauração, de vitória sobre Satanás (Rm 16:20). Jesus Cristo é o nosso  Jubileu. Nele há liberdade,  vida  e restauração, (Sl 102:19-20). Jesus  veio e nos libertou,  pagou as nossas dívidas. Este foi o propósito da Sua vinda, e este é o poder da Sua ressurreição.” O ano jubilar fazia parte das instruções do Senhor para o Seu povo no Antigo Testamento. Hoje nós já temos consciência de que  fomos perdoados e restaurados e elevados à condição de filhos de Deus pela Morte e Ressurreição de Jesus. E se cremos em Jesus e Nele fomos batizados nós somos chamados a viver conformados a Ele e a imitá-Lo nas  atitudes e ações. Por isso,  o Senhor quer nos acordar e lembrar que todo dia da nossa vida  é dia de perdão, de libertação, oportunidade para voltar atrás nas nossas transgressões, dia de conversão.   “Não vos leseis uns aos outros entre irmãos, mas temei o vosso Deus. Eu sou o Senhor, vosso Deus”. A trombeta já soou e você, crê que Jesus já garantiu para você o dia D da salvação? - Como você tem se portado com aqueles que necessitam da sua misericórdia e do seu perdão? - Existe alguém que você ainda não perdoou e que você acha que lhe deve muita coisa?  

Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor,Salmo 66 – “Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem.”

Com a bênção e a graça do Senhor nós podemos caminhar aqui na terra sob o Seu olhar cuidadoso. O Senhor conhece  o  coração  de todos, por isso mesmo é que ele nos governa com retidão e nos julga com justiça. Acolhendo  as suas bênçãos nós podemos produzir frutos de santidade que serão colhidos no dia em que o Senhor nos convocar. Enquanto isto, façamos com que todas as nações do mundo O glorifiquem e O respeitem.  

Herodes ficou com medo por causa de Joao BatistaEvangelho – Mateus 14,1-12 – “o profeta incomoda muita gente”

  Quando teve conhecimento dos poderes miraculosos de Jesus Herodes ficou apreensivo e com medo, pois imaginou que João Batista voltara para puni-lo. João Batista era um profeta que falava tudo aquilo que Deus lhe mandava dizer e foi decapitado por falar a verdade quando advertiu a Herodes que não lhe era permitido ter como esposa a mulher do seu irmão. Incomodado por isso, Herodes desejava matar João Batista até que a ocasião surgiu e ele, como justificativa para o seu intento e para satisfazer os caprichos da sua enteada mandou decapitá-lo. O profeta nunca se omite e vai às últimas consequências, até morrer, para cumprir com a sua missão. Nós todos também somos chamados a sermos profetas, com o encargo de exortar, admoestar, animar e consolar as pessoas. Não podemos nos omitir embora corramos os riscos que a verdade acarreta. A verdade nos incomoda em todos os sentidos! Não queremos admiti-la quando ela nos coloca em xeque mate e não temos alternativas para nos defender e quando ela vem como uma luz revelando os nossos crimes, nós tentamos confundi-la. Jesus veio nos revelar a verdade do Pai para que nós também pudéssemos vivenciá-la e abrir os olhos das pessoas com as quais convivemos.  Muitas vezes, no entanto, nós também nos tornamos  como Herodes quando prometemos a alguém aquilo que não nos é permitido oferecer e por causa das nossas promessas aos homens esquecemos a promessa que fazemos a Deus de amar-nos uns aos outros e partilhar com eles a vida.  Quantas vezes também nós procedemos mal para satisfazer a alguém a quem queremos “agradar”! Pedem-nos a cabeça de uma pessoa e nós impiedosamente não medimos as consequências e a difamamos,  fazendo intrigas contra ela, levantando falso, suspeitas e com isso, nós conseguimos matar o corpo, mas nada podemos fazer com a alma. Deus é o Senhor de todos e só Ele pode nos julgar com justiça de acordo com as nossas ações. - Você tem medo da verdade? – Ela o (a) incomoda quando revela algo que você faz de errado? -  Você já entregou a “cabeça” de alguém  em troca dos seus interesses? – Como você se sente em relação a isto? -  Do que você será capaz de fazer para conseguir os seus intentos? – Você teme mais a Deus ou aos homens? 

Calendário 2015.1

Confira as nossas atividades e participe conosco!

%d blogueiros gostam disto: