06/10 – 4ª. Feira – XXVII semana comum

Reflexão Pessoal –  Gálatas 2,1-2.7-14 “comunhão e exortação”

A comunhão que havia entre os apóstolos no serviço do Reino de Deus, incluía também a exortação e a admoestação. Apesar de Pedro ser o chefe da Igreja, ele estava merecendo censuras pelo seu comportamento considerado hipócrita por parte de Paulo. Quando estamos juntos num projeto e temos os mesmos objetivos a alcançar, nós também precisamos estar abertos aos conselhos daqueles que caminham conosco, mesmo que sejamos nós os coordenadores e dirigentes.  Ninguém é dono da verdade e quando construímos o Reino dos céus aqui na terra, o nosso referencial é Jesus Cristo e a verdade do Seu Evangelho tem primazia para os nossos pensamentos, palavras e ações. Deus tem um plano perfeito de Salvação para a humanidade e o Espírito Santo é quem conduz as Suas deliberações, portanto, não precisamos ficar com medo da opinião de pessoas que não têm entendimento da verdade do evangelho. Pelo contrário, assim como São Paulo precisamos ser firmes e fiéis seguidores de Cristo, muito embora possamos desagradar até as autoridades.  –  Você entendeu porque Cefas (Pedro) e os demais judeus foram considerados hipócritas e dissimuladores por Paulo?  – O que o Evangelho de Jesus prega sobre acolher os pecadores, os diferentes? – Você tem sido fiel ao Evangelho, mesmo contrariando as pessoas que ama?  

Salmo 116 – “Ide por todo o mundo e a todos pregai o evangelho”.

 

Jesus Cristo veio salvar a todos. O salmo nos convoca a ir por todo mundo pregar o Evangelho de Jesus! Ir por todo o mundo significa por onde você for, a quem você encontrar, em qualquer circunstância, em qualquer situação.                       

Evangelho -  Lucas 11, 1-4 – “venha o teu reino”

Jesus nos ensinou a rezar dando como modelo o Pai Nosso! Na oração do Pai nosso nós exaltamos a Deus e ao mesmo tempo entramos em comunhão com os filhos de Deus, nossos irmãos e irmãs.  A oração do Pai Nosso nos dá a noção de que somos família e não estamos sozinhos no mundo. O Pai não é só meu, mas é de todos nós, portanto, somos irmãos e irmãs, unidos (as) num só ideal, com o mesmo propósito de comunhão.  E como filhos, nós pedimos ao Pai que a nossa vida aqui na terra aconteça do mesmo que modo que acontece no céu: uma refeição do amor! Viver o reino dos céus é o maior anseio da nossa alma, por, isso, como irmãos nós pedimos ao Pai para que a Sua vontade aconteça já aqui na terra do mesmo modo que acontece no céu.  O pão, o perdão e a santidade fazem parte da segunda parte do Pai Nosso. O pão  material que  é alimento para o  nosso corpo e o  Pão da Palavra e da Eucaristia que  são alimento para a nossa alma. Jesus é o pão que nos alimenta na nossa caminhada e o perdão de Deus e aos irmãos é o nosso passaporte para alcançarmos a santidade que é o bem acontecendo entre nós. O perdão aos irmãos é a garantia de que também seremos perdoados pelo Pai.   Finalmente, a oração do Pai nosso nos garante que, mesmo que sejamos tentados, o Senhor nos ajuda a não cairmos na rede do inimigo que é o mal, que é o pecado, o afastamento de Deus.      – Reze hoje o Pai Nosso refletindo sobre tudo isso!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: